domingo, 13 de Dezembro de 2009

Idade dos Metais

O período Calcolítico refere-se ao bronze e à pedra, marca a transição entre a Idade da Pedra e a Idade dos Metais. Cerca de 3500 a.C. o homem aprende a utilizar os metais. É o fim da pré-história e o início da proto-história.
No Próximo Oriente o homem aprende a recolher o ouro e a prata e confere-lhe logo um carácter precioso e um simbólico poder de riqueza. Depois recolhe também o cobre em bruto e consegue moldá-lo por meio da martelagem e por último aprende a fundi-lo em fornos que já tinham aparecido com a cerâmica. Mas é a descoberta da liga de estanho que vai permitir dar ao cobre uma nova resistência, é o chamado bronze.
A Idade dos Metais divide-se em Idade do Cobre (4500-2500 a.C.), Idade do Bronze (2500-1500 a.C.) e Idade do Ferro (1650-200 a.C.).
No II milénio, o ferro começa a ser utilizado no Próximo Oriente. Na Europa a utilização do ferro conhece duas épocas importantes: a de Hallstatt (na actual Áustria), entre 1000 e 500a.C., e a de La Tène (na actual Suiça), entre 500 a.C e a era cristã.

De entre os objectos de metal contam-se espadas, escudos, taças, máscaras, adornos pessoais, arreios, etc., que em geral têm dois tipos de decoração. Ou elementos vegetalistas e naturalismo animalista, reminiscências do Neolítico, utilizados pelos povos do Mediterrâneo e Próximo Oriente. Ou a representação abstracta, com elementos geométricos e simbólicos, presente na decoração dos povos da Europa Nórdica e Central. Como por exemplo o símbolo do raio, do disco solar, de estrelas, espirais cruzes, etc.
A produçaõ de cerâmica também evoluiu, apareceram as urnas inceneradoras, onde eram depositadas as cinzas dos corpos incinerados, com uma decoraçaõ de figuração geométrica e abstracta.
O ouro é sinal de riqueza e prestígio social. E associado aos governantes aparecem vasos de ourivesaria e bijutaria como brincos, braceletes, pulseiras, anéis, fíbulas (espécie de fivela), gorjais (espécie de colar de ouro ou prata com pedras finas) e línulas (ornamento em forma de meia-lua usado ao pescoço).
Houve a invenção da roda, do arado de bois e do barco. Surgimento da escrita, da contagem, de medidas e do calendário.
Também se dá o desenvolvimento da escravidão, das cidades e do comércio. A ampliação da propriedade privada, terras e escravos, do sistema produtivo capaz de garantir a subsistência de forma permanente, a divisão de trabalho, agricultura e artesanato. Aparece a organização da sociedade em classes sociais, força de trabalho baseada na servidão coletiva. Dá-se a formação e organização do Estado e da burocracia. Religião politeísta.

2 comentários:

  1. muito interesante adorei muitoo legall

    ResponderEliminar
  2. Acho que esta bom mais ainda falta muitas informações é só uma critica construtiva.

    ResponderEliminar